Tati Nassif Pro

Como é a rotina de trabalho e as responsabilidades de um monitor de cães?

29 de maio de 2023

|

Milk

Para ser um bom monitor de cães, a primeira coisa a se fazer é deixar de lado o conto de fadas. Você até pode, e talvez deva, se apaixonar pela profissão, pois ela é cheia de encantos, diversão e afeto. Os cães são seres sensacionais em vários níveis! Ainda temos muito a aprender com eles sobre colaboração, tolerância, respeito e apreciação da vida. Entenda que amar seu trabalho envolve se esforçar frente a tarefas não tão atrativas do dia a dia, como a limpeza dos ambientes em que os cães ficam. A creche canina é um serviço complexo e carregado de responsabilidades. Seus efeitos vão muito além de brincar e oferecer carinho.

Nossa missão é proporcionar bem-estar físico e psicológico aos cães e suas famílias. E se você pensa em entrar nesse meio, pois não quer trabalhar com pessoas, vou te contar mais, pois isso não é verdade.

Para trabalhar com cães em grupo você deve esperar por um ambiente dinâmico, com muitas atividades e estímulos acontecendo ao mesmo tempo. Com isso, você precisa ser multitarefa, saber dividir sua atenção sem cometer erros. Diante disso, você deve ser uma pessoa flexível, de fácil adaptação com ambientes, pessoas e novas configurações.

De maneira geral a rotina para trabalhar com cães em grupo envolve acompanha-los ao longo de todas as atividades tendo atenção a seu bem-estar e aproveitamento:

avaliar o comportamento dos cães:

com senso crítico entender se a creche é um ambiente saudável para ele ou se existem outras etapas, ou até serviços que podem ser relevantes para sua adaptação. Apesar do manejo ser coletivo, atender as necessidades individuais é preciso.

preparar dos ambientes:

fazer a limpeza, servir água e garantir a checagem da segurança do espaço;

receber os cães:

atenção a seu estado de saúde e se precisarão de algum cuidado especial naquele dia, como uma medicação ou a observação de um comportamento por exemplo;

entreter e estimular os cães em seus comportamentos naturais:

atividades físicas ao ar livre, na piscina, na caixa de areia. Usar brinquedos diversos como bolas, ossos, frisbee, pelúcia dentre outros;

socializar:

compreender a comunicação canina, suas emoções e intenções para favorecer encontros seguros e agradáveis. Monitorar as interações tendo atenção a sinais de estresse para intervenções preventivas que possam minimizar riscos de mal-estar ou brigas;

alimentação e repouso:

fornecer alimentação de acordo com as indicações dos tutores e moldar o ambiente para que os cães possam descansar. São dois pontos fundamentais na manutenção do estado emocional dos cães.

adestramento:

ensinar comandos básicos ajuda no manejo geral na creche e na comunicação com os cães.

– enriquecimento ambiental:

propor atividades com caráter de novidade que possam trabalhar sensorialmente os cães e atender a diferentes perfis de interesse que o grupo possa apresentar

– check list e entrega dos cães:

ao final do dia realizar uma revisão das condições de higiene e saúde dos cães para providenciar cuidados e orientações que se façam necessárias ao tutor.

Burocracias a parte, o profissional que busca entrar no mercado pet provavelmente passará por um processo seletivo que pode envolver entrevistas, provas e testes práticos. O perfil que buscamos nos candidatos envolve principalmente: disposição física, atenção a detalhes, organização e higiene, empatia e estabilidade emocional. Os treinamentos podem ir do nível básico ao avançado ou até algum setor mais específico como comportamento canino, saúde animal, área comercial ou administrativas.

As principais oportunidades para trabalhar próximo aos animais serão para cuidadores e monitores de cães, banhistas, auxiliares veterinários e veterinários, além de estudantes de biologia, zootecnia, psicologia e veterinária. Porém, outros cargos são de fundamental importância como no relacionamento com o cliente e a gestão de equipes.

Um outro ponto a se destacar é a habilidade de relacionamento. Trabalhar em equipe é muito importante para prover os cuidados que os cães realmente precisam. Trocar informações, percepções e dar e receber orientações é parte integral ao trabalho. Administrar bem a suas questões emocionais vai permitir que seja um membro de equipe com maior poder de influência e chances de crescimento.

Como em qualquer mercado, experiência na área e formação em cursos é algo favorável para a efetivação do candidato, mas nem sempre obrigatório. Buscar o aperfeiçoamento e atualização profissional também devem ser constantes na vida de quem escolhe trabalhar com cães em grupo. Essa é uma área em alta na ciência. A todo momento novas descobertas surgem para guiar nossas práticas. Absorver novas responsabilidades são caraterísticas que podem levar a uma oportunidade de crescimento nesse mercado.

Aqui vão 10 dicas para quem deseja se tornar um monitor de cães em grupo ou mesmo para quem já é da área e quer ser um melhor profissional:
  • Encontre um local com o qual se identifique e acredite na filosofia e dinâmica de trabalho;
  • Seja maduro e responsável, faltas, atrasos e rotatividade são prejudiciais aos cães, a sua equipe e a seu histórico profissional;
  • Esteja disposto a se comunicar, tanto com os colegas de trabalho no dia a dia como com seus superiores. Esteja disposto a ajudar e saiba solicitar ajuda;
  • Tenha disposição física, atenção e concentração. Praticar exercícios físicos, comer de forma saudável e realizar o descanso diário adequado ajudam muito no seu desempenho em suas funções;
  • Para trabalhar com cães é muito importante ter paciência e estabilidade emocional. Se coloque no lugar do outro, pense sobre como agiu e se desenvolva como ser humano;
  • Observe os cães com atenção e tenha proatividade para agir sempre que necessário tratando-os com respeito e gentileza;
  • Saiba reconhecer alterações de saúde e sinais vitais e, se possível, realizar primeiros socorros;
  • Aprenda sobre comunicação e emoção canina, é a chave para entender seus comportamentos e relações;
  • Encontre formas de otimizar tempo e organização e tenha segurança e prevenção como seus valores;
  • Crie vínculo afetivo com os cães, seja curioso sobre eles e dê oportunidades para que se desenvolvam.

Quer saber onde se capacitar? Acesse nossos cursos ou entre em contato para falar sobre coaching e consultoria para o mercado pet! 

 

Tatiana Nassif – psicóloga especializada em comportamento canino, professora e diretora na Dog Adventure

 

POSTS EM DESTAQUE

Siga no Instagram

Visite o Lattes

Conecte-se-se no LinkedIn